Notícias

05/12/2018
25º Prêmio CNT de Jornalismo é entregue aos vencedores

Cerimônia ocorreu na noite desta quarta-feira (5), em Brasília

Foto: Rafael Facundo


Há 25 anos, o Prêmio CNT de Jornalismo tem estimulado a produção de reportagens sobre o transporte, inventivado a valorização dos profissionais do setor na mídia e reconhecido o trabalho de qualidade realizado pela imprensa brasileira. Na noite desta quarta-feira (5), ocorreu a cerimônia da 25ª edição do Prêmio, em Brasília. 

A primeira vencedora a subir ao palco foi Ana Paula Rodrigues, que recebeu o troféu das mãos do presidente da Abol (Associação Brasileira de Operadores Logísticos), Carlos Cesar Meireles. Ela foi premiada na categoria Rádio, com o trabalho “Exemplos de Justiça no Trânsito”. A série mostrou algumas histórias de pessoas que perderam entes em acidentes de trânsito e convivem com a impunidade aos infratores. Também aborda a falta de divulgação de números oficiais sobre processos de crimes de trânsito, o que reforça a sensação de impunidade. Clique aqui para ouvir

Depois, foi a vez da entrega da categoria Fotografia, vencida por Fábio Motta, do jornal O Estado de São Paulo, com a imagem "Caminhoneiros" (veja aqui​). Ele foi representado por Ernesto Rodrigues, que recebeu o troféu das mãos de Joubert Flores, presidente da ANPTrilhos (Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos).

Na categoria Televisão, o trabalho ganhador foi "BR 101", de Murilo Salviano e equipe, da GloboNews. A reportagem, por 30 dias, cruzou a BR-101, uma das maiores rodovias brasileiras, que corta o Brasil do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte e que faz conexão com diversos polos econômicos, para falar dos desafios e das condições das rodovias. O troféu foi entregue por Eurico Divon Galhardi, presidente do Conselho Diretor da NTU (Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos). Veja: Parte 1 | Parte 2 | Parte 3 | Parte 4 | Parte 5

A série "Fora dos Trilhos", do jornal Zero Hora, foi a vencedora da categoria Impresso. A jornalista Jeniffer Gularte recebeu o prêmio entregue por José Hélio Fernandes, presidente da NTC & Logística (Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística). A matéria esmiúça o caso da Trensurb (empresa de trens urbanos de Porto Alegre), que, em 2012, abriu licitação para compra de 15 novos trens. As vencedoras do certame foram a Alston francesa e a CAF espanhola. Mas esses trens, entregues em 2014, nunca funcionaram direito. Hoje, apenas três estão em circulação. Leia aqui

Em Internet, o trabalho vencedor foi “Caminhoneiras, codinome coragem: as mulheres que desbravam as estradas do Brasil e quebram barreiras de gênero”, do portal Metrópoles. A reportagem cruzou estados brasileiros de carona na boleia de caminhões dirigidos por mulheres para revelar perigos, desafios e alegrias das profissionais que levam a vida ao volante de veículos pesados, percorrendo o país de Norte a Sul. As jornalistas Leilane Menezes e Juliana Contaifer receberam o prêmio das mãos de Jaime Bueno Aguiar, presidente da CNTTT (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Terrestres). Clique aqui para acessar

O presidente da CNT, Clésio Andrade, entregou o prêmio aos vencedores da categoria Meio Ambiente e Transporte​. O trabalho vencedor foi “Caminhos até 2030: os desafios dos transportes para o Acordo de Paris”, do Correio Braziliense. A reportagem, dos jornalistas Pedro Grígori e Valder Galvão​, traz os principais desafios do setor de transporte para contribuir com as metas do Acordo de Paris, marco internacional que busca reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera. O setor é responsável por quase um quarto das emissões. Clique aqui para acessar

E o Grande Prêmio da edição de 2018 do Prêmio CNT de Jornalismo foi para a “Série Elétricos”. O troféu foi entregue pelo futuro presidente da CNT, Vander Costa, a Helton Setta, André Trigueiro, Michelle Dominguez, Flávio Lordello, José Henrique, Rogério Lima, da Rede Globo. Em cinco episódios, a equipe apresenta os avanços e desafios dos veículos elétricos no Brasil. Além disso, mostra como os países mais desenvolvidos estão se preparando para essa verdadeira revolução. Veja: Parte 1 | Parte 2 | Parte 3 | Parte 4 Parte 5​​

Neste ano, foram inscritos 299 trabalhos. Os vencedores passaram por uma criteriosa avaliação da Comissão Julgadora, composta por jornalistas com larga experiência na imprensa e por um especialista em transporte. Em 2018, foram convidados a compor o corpo de jurados: Carlos Etchichury, editor-chefe do jornal Zero Hora; Tatiana Vasconcelos, âncora da Rádio CBN; Sonia Blota, repórter da TV Bandeirantes; Carla Jimenez, diretora de redação do jornal El País no Brasil; e Márcio de Almeida D´Agosto, doutor em engenharia de transportes e professor do Programa de Engenharia de Transporte da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). ​

O Grande Prêmio recebeu R$ 60 mil. Já os demais ganhadores recebem, cada um, R$ 35 mil. 





Agência CNT de Notícias