Notícias

12/07/2018
CNT informa ao governo federal sobre dificuldades do eSocial

A Confederação Nacional do Transporte solicitou providências para resolução dos problemas

Foto: Imprensa CNT


A CNT (Confederação Nacional do Transporte) encaminhou ofícios à Casa Civil da Presidência da República e aos ministérios do Trabalho e da Fazenda, solicitando providências para resolver os graves problemas operacionais e de tomada de decisão resultantes da implantação do eSocial (Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas).

“O eSocial não pode se afastar das suas premissas de racionalizar e simplificar o cumprimento de obrigações fiscais, trabalhistas e previdenciárias das empresas. É fundamental preservar os objetivos do programa criado para garantir direitos e reduzir a burocracia pública”, ressaltou o presidente da CNT, Clésio Andrade, nesses documentos. 

Segundo ele, a CNT tem registrado a ocorrência de alguns equívocos nos procedimentos adotados pelos órgãos gestores do eSocial, que estão expondo empresas e trabalhadores a situações de insegurança jurídica. “São falhas que, se não forem rapidamente solucionadas, podem prejudicar as empresas e até inviabilizar a completa implantação do eSocial, alerta a Confederação.

Dentre os problemas identificados pela CNT, estão constantes mudanças e instabilidade da plataforma do eSocial. Isso tem atrasado o fornecimento de dados por parte das empresas, que correm risco de sofrer penalidades por descumprimento de prazos. Ao mesmo tempo em que as dificuldades se multiplicam, o serviço de suporte do eSocial tem se mostrado insuficiente para atender à demanda das milhares de empresas que estão aderindo ao programa. 

Outro problema é a ausência de integração do eSocial com outras plataformas. Essa disfunção obrigará as empresas a realizar operações em mais de um sistema, como, por exemplo, nas atividades de apuração de dados e na consequente geração de guias. 

Ao citar esses e outros problemas, a CNT concluiu informando que relatos semelhantes foram feitos ao Comitê Gestor do eSocial sem que, até o momento, houvesse solução.

Clique aqui e conheça o teor do ofício encaminhado à Casa Civil da Presidência da República.






Agência CNT de Notícias