A partir desta segunda-feira (3), passam a valer as novas especificações da gasolina automotiva. Estabelecido pela resolução n.º 807/2020, da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o novo padrão visa aprimorar a eficiência energética do combustível comercializado no Brasil, proporcionando menor consumo e melhor autonomia dos veículos. De acordo com a agência, a qualidade superior da gasolina permite, ainda, a introdução no mercado de motores menos poluentes.

A resolução atualiza, principalmente, três aspectos. O primeiro é o estabelecimento de valor mínimo de massa específica (ME), de 715,0 kg/m3, o que significa mais energia e menos consumo. O segundo é o valor mínimo para a temperatura de destilação em 50% (T50) para a gasolina A, de 77,0ºC. O terceiro ponto é a fixação de limites para a octanagem RON (Research Octane Number), já presente nas especificações da gasolina de outros países. 

A iniciativa é resultado da realização pela ANP de estudos e pesquisas dos padrões de qualidade, considerando o acompanhamento das especificações e harmonizações internacionais, bem como de amplos debates com os agentes econômicos do mercado de combustíveis. Atende aos atuais requisitos de consumo de combustível dos veículos e de níveis de emissões progressivamente mais rigorosos, considerando o cenário futuro das fases L-7 e L-8 do Programa de Controle de Emissões Veiculares (Proconve – Ibama) e do Programa Rota 2030 – Mobilidade e Logística (governo federal).


Fonte: ANP.

CNT - Confederação Nacional do Transporte

SAUS Q.1 - Bloco J - Entradas 10 e 20
Ed. Clésio Andrade - CEP: 70070-944 - Brasília - DF
Fale Conosco: (61) 2196 5700

© 2019 - Confederação Nacional do Transporte